Skip to content

A colmeia da economia compartilhada

A economia compartilhada fortalece a rede de colaboração entre pessoas e empresas. De forma análoga, uma colmeia, na natureza, permite acesso, compartilhamento, e crescimento de recursos dentro de um grupo de abelhas. Essa foi a conclusão de Jeremiah Owyang, estudioso do consumo colaborativo e fundador da Crowd Companies, conselho de inovação que conecta grandes empresas com líderes, startups e comunidades da economia colaborativa.

A partir dessa conclusão, Jeremiah propôs uma nova abordagem para demonstrar todos os setores da crescente economia do compartilhamento e, então, exemplificá-los com as startups que estão despontando em cada um deles.

A primeira colmeia feita pelo estudioso foi apresentada em maio de 2014 e contava com 6 macro setores: Transporte, espaço, serviços, alimentação, bens de consumo e dinheiro.

Honeycomb 1.0 - Jeremiah Owyang
Honeycomb 1.0 – Jeremiah Owyang

Assim como as abelhas trabalham em conjunto para o crescimento e fortalecimento da colmeia, há também a colaboração dentro do ecossistema empreendedor e propriamente da economia colaborativa. Isso permite o crescimento dessa unidade como se fosse uma grande empresa com diversos setores e que está atingindo a maturidade.

Para demonstrar esse crescimento, Jeremiah já atualizou a colmeia da economia colaborativa por mais duas vezes. Na versão 2.0 ele adicionou mais seis setores: saúde e bem estar, logística, corporações, utilidades, municípios e educação. Alguns desses novos setores podem parecer um pouco abstratos, mas nós vamos descrevê-los melhor em um post futuro. A intenção hoje é apresentar essa proposta da colmeia para demonstrar o crescimento baseado na colaboração das empresas nesse vasto campo, além de enaltecer a capacidade empreendedora das pessoas para criação de novos negócios da economia compartilhada nas mais diversas áreas.

Honeycomb 2.0 - Jeremiah Owyang
Honeycomb 2.0 – Jeremiah Owyang

A colmeia mais atual é a 3.0 ela se adaptou ao crescimento de alguns setores que já eram muito abrangentes para os modelos de negócios apresentados. Transporte foi dividido em dois: serviços de mobilidade e compartilhamento de veículos. Saúde e bem estar foi subdividido em 1) saúde e 2) bem estar e beleza. Duas novas categorias foram incluídas: análise de dados e reputação e suporte ao empreendedor.

Honeycomb 3.0 - Jeremiah Owyang
Honeycomb 3.0 – Jeremiah Owyang

Desde que eu conheci essa proposta da colmeia da economia colaborativa tenho sempre consultado e analisada cada nova empresa brasileira para ver em qual área ela se encaixava. Isso me permite entender melhor o modelo de negócio e compará-la às iniciativas já existentes pelo mundo. Fazer um benchmarking internacional das empresas com propostas similares pode acelerar o crescimento da startup por aqui pois podemos nos basear nos canais de venda que já deram certo, pesquisar o custo dos clientes, enfim, ter mais informações para inciar o negócio. Mais importante, podemos propor MVPs (sigla em inglês para “mínimo produto viável”) mais refinados que já estejam mais de acordo com as necessidades dos clientes.

Facebooktwittergoogle_pluslinkedin

Be First to Comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *