Skip to content

Compartilhamento de veículos: 4 modelos para você se livrar do carro próprio

Imagine – se dirigindo um veículo que você não precisa se preocupar com IPVA, seguro, manutenção, gasolina e limpeza. Parece bom? E se você ainda tiver uma vaga de estacionamento garantida quando for ao centro da cidade? Melhor ainda!

Essa é a proposta das empresas que querem a emplacar o compartilhamento de veículos nas grandes cidades mundo a fora.

E os benefícios não param por aí. A cidade também agradece quando pessoas dirigem carros compartilhados. Diariamente, os veículos pessoais ficam estacionados mais de 22 horas na média em um dia. Isso não é eficiente. Sabemos que a quantidade de veículos nas cidades está tornando o deslocamento urbano inviável, causando filas e transtornos diários para a população. Entretanto, quando várias pessoas utilizam o mesmo carro durante o dia ao invés do seu carro próprio, essa situação pode melhorar.

O compartilhamento de veículos é uma nova área da mobilidade urbana e não uma proposta de empreendimento definida. Dentro dessa grande área que está ganhando adeptos no mundo todo, existem 4 modelos de negócios: Free Floating, One Way, Round Trip e Peer to Peer

Compartilhamento “Round Trip”

O compartilhamento de veículos Round Trip é caracterizado pela devolução do veículo no mesmo local de retirada e é o modelo pelo qual se iniciou a ideia de car sharing. A primeira empresa a crescer nesse modelo foi a americana Zipcar no ano 2000. Hoje ela conta com mais de 900.000 usuários e entorno de 10.000 carros e segue entre as maiores empresas de compartilhamento de veículos. Outras empresas que se destacam com o modelo Round Trip são: Enterprise car share, Carrot no México e Zazcar no Brasil. É bastante comum as empresas ofertarem programas exclusivos para universidades, principalmente nos Estados Unidos. Nesse modelo, os veículos são exclusivos para o campus e atendem na sua grande maioria estudantes que não possuem carros mas desejam ter acesso a um veículo esporadicamente.

Compartilhamento “Free Floating”

Free Floating da a liberdade para as pessoas deixarem os veículos em lugares diferentes de onde ele foi retirado. O veículo pode ser entregue em qualquer vaga de estacionamento público dentro de uma área pré estabelecida pela empresa. É assim que funcionam os serviços das duas empresas alemãs Car2go e DriveNowTodos os anos o laboratório de transportes sustentáveis da Universidade de Berkley faz um estudo sobre o panorama do compartilhamento de veículos nas Américas. Na última publicação, foi constatado que existem 1.529.811 usuários de serviços de compartilhamento de veículos tanto no modelo Round Trip, Free Floating e One Way. E esses usuários compartilham 22.134 carros nos Estados Unidos, Canada, México e Brasil. A pesquisa não considerou o modelo Peer to Peer.

Compartilhamento “One Way”

O modelo One Way se assemelha ao Free Floating ao passo que a pessoa não necessita retornar com o carro para o mesmo local onde o retirou. Entretanto, a devolução deve ser feita em um ponto definido, uma vaga de estacionamento da empresa.  Esses locais podem ser definidos com estações de compartilhamento, onde existem vagas exclusivas para veículos compartilhados como acontece com o serviço em Paris chamado Autolib. Na capital francesa, os veículos são 100% elétricos o que chama bastante a atenção de quem está a passeio na cidade. Em cidades ou regiões em que é difícil de encontrar vagas públicas para estacionamento, esse modelo é bastante vantajoso.

A empresa “Vulog“, que fornece a tecnologia para operadores de car sharing, indica que os novos empreendimentos nesse setor tendem a se concentrar no modelo Free Floating e One Way.

3 modelos de Car Sharing
A nova geração de Car Sharing. Fonte: Vulog

Compartilhamento “Peer to Peer”

Por fim, o terceiro modelo é o Peer to Peer, no qual as pessoas disponibilizam seus próprios carros para serem compartilhados e assim ganhar um dinheiro extra no final do mês. Duas empresas se destacam no mercado americano, a Turo e a Getaround. No Brasil existem duas empresas com atividades expressivas no compartilhamento P2P: a Fleety e a Pegcar.

E qual dos modelos é melhor para o consumidor e para a mobilidade urbana?

O melhor são os quatro juntos, haja vista que um número maior de alternativas para a mobilidade urbana como serviço beneficia a todos, contemplando necessidades diferentes de deslocamentos pela cidade. Além disso todas essas alternativas mais sustentáveis e que trazem a tecnologia para tornar nossos deslocamentos diários mais inteligentes transformam a maneira de nos locomovermos pelas cidades. Existe até um estudo que diz que o car sharing ajuda a aumentar o número de usuários do transporte público (teremos um post somente sobre esse assunto). Como deseja-se que as pessoas deixem de possuir seu carro próprio, boas alternativas devem co existir.

Facebooktwittergoogle_pluslinkedin

Be First to Comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *