Skip to content

O consumo colaborativo ganha força no Brasil

Mesmo não fazendo muito tempo que esse novo conceito começou a se espalhar pelo Brasil, o consumo colaborativo já está na boca do povo. Uma recente pesquisa realizada pela Market Analysis revelou que 1 em cada 5 brasileiros já ouviu falar em consumo colaborativo ou consumo compartilhado. Se olharmos apenas na porção da sociedade com maior poder econômico e com alta escolaridade, o número dobra, chegando a 42%. Novos empreendimentos nacionais na economia do compartilhamento, publicações em grandes veículos de comunicação do país e empresas famosas (e polêmicas…) que iniciaram a operação no Brasil recentemente contribuem para espalhar o conceito e atrair adeptos.

Um fato muito interessante que essa pesquisa revelou também é que, diferentemente do que podemos imaginar, o conceito é menos conhecido nos grandes mercados brasileiros como São Paulo, Belo Horizonte e Rio de Janeiro. Na verdade, é Recife o lugar no Brasil onde mais pessoas sabem do que o consumo compartilhado se trata.

Mas será que essa familiaridade é refletida na prática? Segundo o estudo, de cada 3 pessoas que estão familiarizadas com o conceito, uma praticou alguma forma de consumo colaborativo nos últimos 12 meses.

Dentre as inúmeras formas de consumo colaborativo, a mais “popular” no Brasil é a troca e venda de produtos usados, correspondendo a quase 60% das ações praticadas, seguido de aluguel de produtos (12%),  aluguel de carro e carona (10%) e hospedagem (6%). Embora essas práticas já existam há bastante tempo, o crescimento delas está sendo alavancado por todos aqueles benefícios que a economia do compartilhamento traz e os novos empreendimentos estão se unindo para fortalecer toda essa economia que envolve o consumo colaborativo.

Algumas pessoas se depararam com o conceito quando foram viajar e trocaram o hotel por um apartamento no Airbnb, ou mesmo por um sofá no Couchsurfing. Outras escolheram utilizar serviços como o do Uber para diminuir o uso do carro próprio nas grandes metrópoles. Essas empresas têm pouco mais de 7 anos de existência e há pouco tempo se lançaram no Brasil. Sem dúvida a vinda delas pra cá fortaleceu o sistema da economia do compartilhamento e tornou pública a ideia de compartilhar. Elas servem também de modelos para os empreendedores brasileiros que aproveitam as oportunidades dessa nova economia e que também contribuem para engrandecer esse sistema que está se formando.

Nessa onda de novos empreendimentos e muitas oportunidades, a mídia também tem seu papel no conhecimento da população a respeito do consumo compartilhado. Veículos online como Exame, Folha de SP, Galileu, UOL, Infomoney e Hypeness já publicaram matérias excelentes que foram lidas por milhares de brasileiros.

Confesso que mesmo já trabalhando com compartilhamento de veículos há um certo tempo, só fui entender a dimensão do que isso significava quando li o livro da escritora Lisa Gansky “Mesh – Por que o Futuro Dos Negócios é Compartilhar”.

E você, como você conheceu esse conceito do consumo colaborativo?

A força com que essa nova forma de consumo mais consciente está entrando em nosso país mostra que as pessoas anseiam por soluções diferentes para os problemas atuais. Além disso, essa nova economia traz o sentimento de comunidade, em que o coletivo tem mais força do que o individual. Eu acredito que o que hoje são 20% da população que já ouviram falar do consumo colaborativo, em breve serão uma parcela maior da população que já terá utilizado ao menos uma vez um serviço da economia do compartilhamento.

 

 

Facebooktwittergoogle_pluslinkedin

4 Comments

  1. Lucas R. Sant'Ana Lucas R. Sant'Ana

    Boa tarde, Rodrigo!

    Estou no último semestre da graduação e meu TCC é sobre Consumo Colaborativo. Vi que você disse para a Mariana que tem os resultados da pesquisa contigo. Será que você pode me disponibilizar?

    Parabéns pelo site… Estou utilizando muitas das informações já postadas! Excelente conteúdo e extremamente útil!

    Obrigado.

    • Rodrigo Magri Rodrigo Magri

      Olá Lucas!

      Posso disponibilizar sim, sem dúvida. Vou enviar para o seu e-mail, ok?

      Obrigado, o seu feedback é muito importante!

      Abraço,

      Rodrigo Magri

  2. Mariana Mariana

    Boa tarde, Rodrigo!
    Você sabe onde eu consigo acessar na íntegra a pesquisa da Market Analysis?

    Muito bom o seu blog, parabéns!
    Meu TCC da pós-graduação será sobre a Economia do Compartilhamento, e com certeza utilizarei muitas informações do blog.

    Obrigada!

    • Rodrigo Magri Rodrigo Magri

      Olá Mariana! Eu tenho os resultados da pesquisa comigo. Eu posso te enviar por e-mail, o que achas? Posso enviar para esse mesmo e-mail que colocaste aqui no blog?

      Obrigado! Se quiser receber os posts semanais no seu e-mail é só se cadastrar ali em cima a direita.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *